Indignação seletiva

Dirigentes gremistas passaram a semana inteirinha condicionando a arbitragem para o Gre-Nal. Bancam os modernos e atualizados, mas na verdade não passam de upgrades de Cacalo e Odone, com suas táticas ultrapassadas e mais do que manjadas para colher vantagens no grito e no apito.

No entanto, o condicionamento da semana anterior não parou. Continuou durante a partida. Continua até agora, provavelmente já pensando no próximo clássico.

A declaração de Romildo Bolzan que li hoje é de uma desfaçatez sem fim. Disse o dirigente: “Durante 95% do jogo, ele (Anderson Daronco) apitou de forma adequada. Mas a falta em Bolanõs e o pênalti sofrido por ele em outro lance foram erros capitais que poderiam mudar o jogo” (leia aqui).

Claro, afinal, durante 95% do jogo, Marcelo Oliveira teve carta branca para intimidar William, a equipe tricolor baixou o sarrafo, faltas foram pateticamente invertidas, e Paulão foi expulso após levar voadora de Henrique Almeida e retribuir à altura. Quanto ao pênalti que Bolzan viu, vou precisar de um golinho do que ele tomou para ver se consigo enxergar em algum momento do jogo.

William errou, entrou com fome demais na dividida e merecia ter sido expulso. Até ontem eu via o lance como um choque, no qual Bolaños trombou seu rosto contra o braço aberto do lateral colorado, que parecia proteger-se. Mas errei. Hoje, revendo com mais cuidado, mudei minha posição: William, de fato, faz o gesto da agressão.

Entretanto, o sensacionalismo que se está fazendo é ridículo. Estão armando um circo lamentável e patético. Ocorrência policial, senhor Romildo? O que mais é necessário? Talvez colocar uma horda de gremistas encapuzados carregando, com suas tochas acesas, o lateral colorado até uma guilhotina para execução em praça pública? Menos, Bolinha. Bem menos.

William se passou, e provocou um efeito que certamente não pretendia. Mas é um lance de intimidação, de “chega pra lá” que vemos a todo momento em disputas de bola em partidas acirradas. Faz parte do aspecto psicológico do jogo. William teve azar parecido com o de Zuñiga, quando este em jogada viril livrou Neymar do 7 a 1. Não justifica de modo algum. Mas o fato tem de ser visto dentro do seu contexto, contexto este de uma partida naturalmente quente por se tratar de um clássico, e iniciada com um empurrão completamente sem fundamento do lateral Wesley em Artur, após disputa normal de jogo logo nos primeiros minutos de bola rolando. Esse tipo de coisa serve para esquentar os ânimos, sem sombra de dúvida. E o Gre-Nal teve mais lances, talvez convenientemente esquecidos por Bolzan, Rui Costa & seus amigos.

Quer mesmo falar de falta desleal, senhor Romildo? Então o que o senhor acha da entrada de Maicon, que poderia provocar uma fratura exposta em Dourado? Ou do pé de Geromel na altura da coxa de Aylon? Será que não cabe ocorrência policial também (veja aqui)? Do Geromito ainda tem esse lance em que chuta D’alessandro no chão em Gre-Nal do ano passado, lembra (se o senhor não lembra, esse vídeo pode ajudar)? Se acerta um pouco mais acima, poderia ter até matado o D’ale!

Ah, mas a comoção é seletiva! Não só dos mandatários gremistas, como de parte da imprensa que pede “punição exemplar a William”(Luiz Zini Pires está na campanha). Talvez ela seja realmente necessária. Mas peçam isso para todos que cometem atos violentos dentro do jogo, não só para William. Do contrário, parecerá que escolheram William como sua Geni. “Joga pedra na Geni! Joga bosta na Geni! Ela é feita pra apanhar! Ela é boa de cuspir! Maldita Geni!”.

Não sejam cretinos e hipócritas a ponto de colocarem todo o peso da violência no Gre-Nal (ou nos Gre-Nais) sobre as costas do jovem atleta, que, sim, errou, e errou feio. Tenham hombridade, tenham colhões, tenham vergonha na cara para ir além do ataque a um jogador que mal subiu para o profissional. Abandonem o sensacionalismo barato e sejam minimamente honestos com os fatos. Se realmente detestamos a violência, temos que combatê-la em todas as frentes, de todos os modos possíveis. Isso começa por sermos justos, abandonando manipulações forçadas e interesses mesquinhos.

………………………………………..

Não posso deixar de desejar plena e rápida recuperação a Bolaños. Que logo possa estar correndo, driblando e fazendo o que mais sabe: jogar futebol.

6 Comentários

  1. Avatar Ricardo 7 de março de 2016 Reply
    • Avatar oculto 8 de março de 2016 Reply
  2. Avatar Caduco 7 de março de 2016 Reply
    • Avatar Bruno Mello Souza 7 de março de 2016 Reply
    • Avatar oculto 8 de março de 2016 Reply
  3. Avatar Thiago 8 de março de 2016 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *