O regulamento vale ou não vale?

Francisco Noveletto foi irredutível ao impedir o Inter de inscrever outro goleiro para as finais do Gauchão.

Agora, com a lesão de Keiller, vivemos uma situação absurda: o clube terá que jogar ou com um goleiro lesionado, ou com um jogador de linha no gol.

O mesmo zelo e rigor pelo regulamento, porém, não foi observado na hora de definir o mando no segundo jogo da final.

Está claríssimo, sem margem para interpretações dúbias, no parágrafo único do artigo 11 do regulamento:

“Na hipótese do estádio, normalmente, utilizado por uma das equipes finalistas não atender o previsto no “Caput” do presente Artigo, esta deverá indicar outro estádio que atenda a capacidade mínima de pessoas e as normas de segurança e higiene exigidas para a realização de suas partidas num prazo de 48(quarenta e oito) horas após a definição dos finalistas. Caso o clube em questão não cumprir o prazo referido, a FGF determinará os locais das partidas em questão.”

Afinal, o regulamento do Gauchão vale ou não vale?

Posso não ser muito bom de matemática, mas algo me diz que esse prazo de 48 horas está esgotado mais ou menos desde as 20:30 da terça-feira, dia 25 de abril de 2017. Há quase uma semana, portanto.

E nem adiantam manobras retóricas para dizer que o Estádio do Vale não seria “outro estádio”: se estará customizado para a decisão, é sim, outro estádio, com características totalmente diferentes do seu “estado natural”. Se fosse o mesmo, já estaria definido desde a confirmação dos finalistas.

Se Noveletto não abre possibilidade de inscrição de goleiro, e está no seu direito, o Inter tem que estar no próximo domingo, às 16h, devidamente fardado, no local para o qual a decisão está marcada: o Estádio Centenário, em Caxias do Sul; estará, também, no seu direito.

Afinal, ou o regulamento vale para todos, ou não vale para ninguém.

9 Comentários

  1. Rodrigo 1 de maio de 2017 Reply
  2. Paulo 1 de maio de 2017 Reply
  3. Marcos 1 de maio de 2017 Reply
    • Bruno Mello Souza 1 de maio de 2017 Reply
  4. macaco 1 de maio de 2017 Reply
    • Noia 1 de maio de 2017 Reply
  5. Mauro 1 de maio de 2017 Reply
    • Bruno Mello Souza 1 de maio de 2017 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *