O pesadelo

A final do Gauchão pegava fogo.

Eu roía as unhas em frente à televisão.

O adversário pressionava.

O Inter parecia nulo em campo, oferecendo espaços e permitindo oportunidades de gol em profusão para o time azul.

Danilo Fernandes sentia a lesão, e mancava dramaticamente.

Ainda assim, com toda a precariedade de suas condições físicas, heroicamente salvava o time do jeito que dava.

Era insuportável o assédio à meta colorada.

Parecia questão de tempo para que saísse o tento adversário.

Foi então que me dei conta do surreal da situação, da tremenda fantasia ali envolvida.

O adversário daquela final ali era, ora, o Grêmio.

Aí eu pude despertar, aliviado.

Respirei fundo e voltei a dormir, bem mais tranquilo.

Ufa…

3 Comentários

  1. Arthur 6 de maio de 2017 Reply
  2. Renato Dias 6 de maio de 2017 Reply
  3. Saci 7 de maio de 2017 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *