Pela memória de Librelato

Há quase quinze anos, o Inter fazia uma partida absolutamente emblemática, em Belém, contra o Paysandu.

O time colorado, na última rodada do Campeonato Brasileiro, à beira do rebaixamento, arrancou uma vitória no Mangueirão e, com aqueles três pontos, manteve-se na Série A.

Dali em diante, reestruturou-se e atingiu o ápice, ao vencer o Barcelona em Yokohama e tornar-se Campeão do Mundo.

O Inter foi de Belém a Yokohama. Voltou de Yokohama a Belém.

Naquela ocasião, em 2002, brilhava a estrela de um jovem, rápido e carismático atacante: Mahicon Librelato. Foi dele o gol que abriu o caminho para a dramática fuga do rebaixamento (assista aqui).

Aquele foi o último jogo de Librelato com a camisa do Inter. Aquele foi o último jogo da vida de Librelato.

Dias depois, o promissor atacante viria a falecer em acidente automobilístico em Florianópolis.

Foi-se embora, sim, mas não sem antes salvar o Colorado do inferno da segunda divisão.

Hoje, a situação é diferente. O Inter está na segunda divisão, pela primeira e, espero eu, única vez na sua história.

O jogo desta tarde em Belém, diante do mesmo Paysandu, não tem nem 10% da carga dramática que teve aquela partida de 2002.

Isso não o torna, porém, menos importante ou simbólico.

Após tropeçar contra o ABC em casa, é fundamental para o time de Antônio Carlos vencer o Papão.

Se fomos de Belém a Yokohama uma vez, e se voltamos de Yokohama a Belém, por que não sonhar com mais um retorno, agora de Belém a Yokohama, outra vez?

Sonhemos, então, mais uma vez. Pela memória de Librelato, que fez o gol em Belém. Pela memória de Fernandão, o capitão de Yokohama. Pela história do Sport Club Internacional, que precisa ser resgatada nesse inusitado 2017.

7 Comentários

  1. Rodrigo 27 de maio de 2017 Reply
    • Bruno Mello Souza 27 de maio de 2017 Reply
  2. Carlos Yomuri 27 de maio de 2017 Reply
    • Bruno Mello Souza 27 de maio de 2017 Reply
  3. Carlos Yomuri 27 de maio de 2017 Reply
  4. Emerson 27 de maio de 2017 Reply
    • Bruno Mello Souza 27 de maio de 2017 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *