A nossa Ilha da Rainha da Morte

Tenho 32 anos.

Meu caráter foi, em boa medida, forjado assistindo a Cavaleiros do Zodíaco.

Numa semana em que o Inter engatilhou duas vitórias importantíssimas e a Netflix anunciou um remake da saga dos Guerreiros de Athena, a relação veio quase que automaticamente à minha cabeça.

O Inter está na sua Ilha da Rainha da Morte particular.

Para quem desconhece a trama dos Cavaleiros, a Ilha da Rainha da Morte foi o local de treinamento de Ikki.

O cavaleiro de Fênix por lá encarou seu inferno, exterior e interior.

Sofreu, chorou, perdeu, ganhou e de lá saiu mais forte.

Assim como o irmão de Shun, o Colorado começou a endurecer-se, a ganhar o traquejo suficiente para superar seus piores demônios.

O triunfo sobre o Guarani em Campinas não foi brilhante. Mas foi um triunfo de maturidade.

O time de Guto começa a ganhar consistência, em momento fundamental da competição.

A campanha ainda é menor do que o que se espera deste Inter.

Mas o Inter na Série B finalmente começa a caminhar na direção de ser aquilo que todos querem e esperam de um Inter na Série B.

Termina o primeiro turno na vice-liderança e com relativa folga para manter-se no G4.

As chamas ainda queimam, quase insuportavelmente, na pele de cada torcedor colorado.

Mas estamos, aleluia, prontos para voltar, com solidez, com bom futebol, com a superioridade óbvia que do time alvirrubro se espera diante dos seus adversários.

Estamos prontos para voltar, mais fortes do que nunca.

Como a ave fênix que ressurge das cinzas.

2 Comentários

  1. Márlon Fagundes 11 de setembro de 2017 Reply
  2. rodrigo dias 29 de outubro de 2017 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *